Le Procope

13, Rue de L’Ancienne Comedie 75006
Tel 01 40 46 79 00
Metro: Odeon
http://www.procope.com/
Um dos restaurantes mais antigos de Paris aberto em 1686.  Foi freqüentado por Voltaire, Robespierre, Danton e outras personalidades famosas.  A primeira vez que comi um boeuf bourguignon foi lá há uns 16 anos atrás e amei.  Das últimas duas vezes que fui não me senti tão feliz.  Não sei se a fama sobrepujou a qualidade dos pratos, se foi falta de sorte minha ou ainda se meu paladar ficou muito exigente pois a comida não estava tão maravilhosa quanto eu me lembrava. 
Estranhei também o fato das mesas estarem na maioria ocupadas por estrangeiros.  Mas o ambiente é bastante interessante e vale a visita.

Anúncios

Le Belisaire

2, rue Marmotel  tel.: 01 48 28 62 24
Metro: Vaugirard
http://lebelisaire.free.fr/
Almoço de 2ª.f à 6ª.f e jantar de 2ª.f à sábado. 
Fecha 21-27 abril, 4-24 agosto e 22-28 dezembro.
Cozinha excelente comandada pelo chef Matthieu Garrel.  Ótimo custo benefício em função da excelente qualidade.  Fica bem perto do Le Cordon Bleu.  Comi um bacalhau fresco com tapenade (uma pasta com azeitona preta etc.)que jamais me esqueci.  O menu está sempre com novidades.
Sofreu uma reforma e ficou com um ambiente mais charmoso de um bistrô.
Jantar em torno de € 38,00 e fórmulas de almoço a € 18,00.

Au Monde des Chimères

69, rue St-Louis-em-l’Ile  tel: 01 43 54 45 27 – Île Saint-Louis
Tem horário do tipo complicado e fecha às 2as. e domingo. 
Mas quem sabe quando você estiver passeando ali nos arredores da Notre Dame lá para às 12h-13h dá para dar uma passadinha.
A comida é excelente, a própria dona ou sua filha Cécile Ibane, recebem os clientes. 
Comi umas “baby-moules” ou mexilhões bebês  maravilhosas e tudo o que pedimos estava ótimo.  Fecha umas 14h30 – 15h.

Les Philosophes

28 Rue Vieille du Temple 75004 – Marais
tel 01 48 87 49 64
Ônibus: ligne 29. Ponto – Arrêt : rue Vielle du Temple
Metro: Hôtel de Ville, Rambuteau, Saint Paul
www.cafeine.com  procure em fftp://
Entrei no Les Philosophes alternativamente quando o Gamin estava em obras.  É muito bom, tem um cordeiro ótimo e haddock também.  Aposte nos pratos do dia.
Os banheiros são uma atração à parte e até no site há o link para Les Toilettes com fotos do local.  Tem uma “biblioteca” entre os lavatórios masculinos e femininos.

Le Telegraphe

41 rue de Lille 75007
Telephone: 01 58 62 10 08
Metro: Solférino – perto do Museu d’Orsay.
http://www.restaurantletelegraphe.com/
As fotos do site são interessantes e mostram como era há anos atrás.
Horários complicados: abre de 2ª a 5ª feira das 12h às 15h e das 19h às 22h.  Sábado só para jantar.
Os pratos são decorados e lindos.  As quantidades pequenas de forma a que, para ser feliz, peça pelo menos uma entrada e um prato principal.
É mais caro e formal.  Bom fazer reserva. Há no menu de almoço, das 12h às 15h opções de fórmulas com preços mais simpáticos em torno de  € 24,50 para a entrada + prato ou prato + sobremesa ou  € 30 com as três opções.
Recomendo o Crème brûlée vanille bourbon, flambado na mesa, que é simplesmente fantástico!

Le Relais de Venice

271, bolevard Pereire
Metro: Porte Maillot
Tel: 01 45 74 27 97
http://www.entrecote.fr/index.htm
Aberto para almoço e jantar com horários rígidos de 12h às 14h e de 19h15 às 22h45. Restaurante tradicional criado em 1959 que é referência na combinação de entrecôte com molho e fritas. Seu menu tem um único prato: o entrecôte (contra-filé) com molho de estragão acompanhado de fritas.  A entrada é uma saladinha verde com molho vinagrete e nozes além do pão, é claro.
A única pergunta que a garçonete lhe fará é sobre o ponto da carne.  Bleu é muito mal passada, saignant é mal passada, saingnat-à-point é ao ponto para mal, à point ao ponto, à point-bien cuit ao ponto para bem e finalmente bien cuit que é bem passado.
A porção de 250g é servida fatiada e em duas vezes.  A carne é macia e vem num molho maravilhoso cuja receita é segredo da casa.  As fritas são crocantes e douradas.
Como o contra-filé não é muito alto, é o único lugar em que eu peço mal passado e não ao ponto.  Em geral o “à point” do francês já é o nosso mal passado.
Sugiro o vinho da casa, o Bordeaux reserva de L’Entrecôte tinto ou rosé que é servido em garrafa de 750ml a  € 12,00 ou em meia 375ml a   € 8,00.
Entrecôte em torno de € 17,00.
As sobremesas são variadas e deliciosas gostosas em tono de  5,5. Os profiteroles são ótimos e tem uma coupe que é uma casquinha de biscoito com chantilly e frutas vermelhas que é a minha favorita mas esqueci o nome.  Acho que é a Côte d’or mas não tenho certeza, sempre descrevo antes.  Ouvi falar que vêm da famosa confeitaria Dalloyau, que menciono aqui nas dicas, mas não sei se é verdade.  De qualquer forma são excelentes.
O lugar é apertado, com mesas coladinhas e tem fila a partir das 13h para almoço.  Se você não quiser esperar, chegue ao meio-dia ou às 19h .  O menu de sobremesas é em francês, muitas das garçonetes não falam outro idioma e a gerente jamais soube que existe a tal da “voz do cliente”.  O restaurante bomba na hora do almoço e ela é rigorosa, tipo sargentona.  Não espere a amabilidade e cortesia americana.  Se você não está só e sua companhia não chegou, ela jamais deixará você esperar na mesa e passará a frente de outros grupos já prontos.  E não adianta reclamar…  Um jogo duríssimo que vale totalmente pelo que se come.

Au Gamin de Paris – fechou…

 

51 Rue Vieille du Temple  75004 – Marais
tel 01 42 78 97 24
Ônibus: ligne 29. Arrêt : « rue Vielle du Temple ».
Metro : stations Hôtel de Ville, Rambuteau, Saint Paul
http://www.au-gamin-de-paris.com/
MANTENHO TODAS AS PALAVRAS QUE ESCREVI SOBRE O GAMIN E FIQUEI ÓRFÃ DE UM DOS MELHORES RESTAURANTES DE PARIS… SÓ ME RESTA LAMENTAR EM PÚBLICO…
Se eu tivesse apenas um dia em Paris, iria comer no Au Gamin.  Foi uma descoberta incrível que eu fiz há uns 8 anos.  O bistrô já tem 20 anos e um menu tipicamente parisiense.  A carta no site está bastante reduzida da real.  O magret de canard figues et raisins é divino.  Aliás, lá foi onde até hoje comi o melhor magret.  Obviamente depois dele, arrisco muito pouco para não me frustrar.
Da última vez que estive lá depois de dividir uma entrada que era uma salada de fígado de vitela e o magret com figos e uvas, saí com lágrimas nos olhos e tive ímpetos de abraçar e beijar calorosamente o garçom que nos atendeu.  Contive-me porque sabia que estava sob forte emoção.  Almoçar ou jantar no  Au Gamin é uma experiência inesquecível que me conduz a um estado de graça.  A comida é simples para os padrões de lá, obvimente, e extremamente bem feita.
O magret de canard é um peito do pato especial e gordo, o mesmo que do foie gras.  O peito tem uma camadinha de gordura que lembra até a picanha.  Pode ser servido com diversos molhos de mel, laranja, pimenta verde etc.  As massas frescas feitas na casa são ótimas e já provei uma de salmão defumado excelente.  Recomendo veementemente a salada com fígado de vitela (foie de veau).  Se você detesta fígado, essa é a oportunidade de rever os seu paladar.  Juro que é bom!
As porções são satisfatórias e não precisa pedir entrada.  Eu peço para dividir uma entrada porque já que estou lá tenho que aproveitar ao máximo.
De sobremesa há, entre outras, a Tarte tatin… mas a minha é melhor.
O cardápio é em francês e o ambiente escuro e enfumaçado durante à noite.  Das últimas vezes fui almoçar e não sei se por lá vale a proibição de cigarro porque é num local muito boêmio.  Fica aberto o dia todo até a madrugada e enche em torno das 22h.
Pratos em torno de € 26,00.